Como saber se você está em um relacionamento abusivo?

Como saber se você está em um relacionamento abusivo?
12.04.2017 Rosana Braga
relacionamento abusivo

Você sabe se está em um relacionamento abusivo?

Seu relacionamento é cheio de brigas, xingamentos e até ofensas? Tem violência verbal, psicológica e até física? Parece que vocês vivem um constante, pesado e triste conflito entre algo que se parece com amor e ódio? Você se sente oprimida, diminuída e péssima consigo mesma? O outro culpa você por tudo de ruim que ele mesmo faz? Diz que só é assim por sua causa?

E o silêncio? É constrangedor? Você sente que é usado como manipulação até que você não aguente mais e faça o que o outro quer? Tem a sensação de estar se desmontando ou até se desmanchando a cada nova explosão de palavras e exigências?

Mas, apesar de tudo isso, sem entender por que, você não consegue terminar? Não tem coragem de fazer as malas e simplesmente ir embora? Por mais que doa e que você sinta raiva inclusive de si mesma, vive tentando se convencer de que as coisas vão mudar, vão melhorar?

É bem provável que, sim, você esteja em um relacionamento abusivo e esteja vivendo uma dinâmica completamente destrutiva, abusiva, cheia de controle psicológico e consumação emocional. E sabe por que é tão difícil romper com esse ciclo? Porque esse tipo de dinâmica termina funcionando como se fosse uma substância com propriedades altamente viciantes. E todo vício destrói, mais cedo ou mais tarde, com maior ou menor intensidade.

Mas por que será que algumas pessoas nunca ficariam numa relação assim, enquanto outras ficam – seja uma única vez ou numa repetição de encontros e desencontros – nesse enredo de horror que inclui exposição, dor e tristeza, tudo sempre tão intensamente desolador?

A resposta é uma só, embora hajam várias explicações. Uma pessoa só se deixa ficar numa relação abusiva e, mesmo querendo, não consegue sair, porque está fragilizada. Porque não está encontrando, naquele momento, referências emocionais dentro de si que lhe devolvam a certeza de que ela não precisa continuar neste encontro. De que ela pode, merece e deve colocar um fim a esse círculo viciante e extremamente insano.

Ou seja, se você está vivendo um relacionamento abusivo, precisa se fortalecer. De dentro para fora e de fora para dentro. Precisa de apoio e, para isso, terá de gritar por socorro para ser ouvida e resgatada.

Existem vários tipos de pontos de apoio, mas precisam fazer sentido para você. Cada pessoa, a partir de seus valores e crenças, vai se apoiar no que for mais coerente com sua verdade e sua intuição. Veja em que fonte você pode começar a se resgatar, a dar o primeiro passo:

Processo de autoconhecimento 

Pode ser uma terapia, um processo de coach ou a ajuda de qualquer outro profissional que ofereça um contexto guiado de percepção de si mesma dentro desta relação.

Profissional da Saúde 

Pode ser um psiquiatra, um acupunturista, um terapeuta do corpo, enfim, um profissional que possa te amparar fisicamente neste processo de fortalecimento para tomar as atitudes que forem necessárias a fim de colocar um fim nesse ciclo.

Família

Em geral, as pessoas mais próximas da família se mostram muito disponíveis para ajudar num contexto de sofrimento como esse. Não subestime o amor de pais, irmãos e quem quer que seja íntimo e possa te socorrer.

Amigos

A rede social pode ser fundamental num momento onde sua percepção de si mesma e do outro está profundamente comprometida. Escolha um ou dois amigos em quem você confia e que possa servir como um porto seguro neste momento de instabilidades.

Amparo espiritual

Seja qual for a sua crença, se é que você tenha uma, é hora de fortalecer a fé no invisível, naquilo que escapa de sua compreensão racional, mas que te fortalece a alma e a certeza de que existe um mundo possível e bem perto de você onde o amor não é sinônimo de abuso.

Por fim, saiba que todos nós podemos nos fragilizar por diversos motivos durante a vida. Não se culpe. Não se castigue. Não se sinta desmerecedora, seja qual for o seu motivo. E lembre-se de que o amor que constrói, solidifica e cria está à sua espera. Mas você precisa cumprir a jornada até lá, um passo de cada vez. Um depois do outro. Sem desistir…

Rosana Braga
Psicóloga, Escritora, Jornalista e Palestrante. Pós graduada em Educação Sexual. Autora dos livros Quem Ama, Mostra, Faça o Amor Valer a Pena e O Poder da Gentileza.

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*