O que fazer quando seu par ainda pensa no ex?

O que fazer quando seu par ainda pensa no ex?
26.10.2017 Rosana Braga
ex

O que fazer quando seu par ainda pensa no ex?

ex

Créditos: Giphy e Katy Perry.

Considerando que ninguém controla o pensamento e muito menos o sentimento de outra pessoa, por mais íntimo que seja dela, se seu par demonstra ou revela que ainda está pensando no ex, é hora de observar quais tem sido os seus pensamentos – e não os dele. Porque com os seus, sim, você pode fazer alguma coisa!

O que quero dizer? Bem, se a pessoa com quem você está continua ligada, mesmo que indiretamente, ao passado, a uma outra história, a um relacionamento anterior, imagino que essa situação não seja das mais confortáveis ou prazerosas para você. Suponho que esse cenário lhe cause sentimentos como angústia, insegurança, ciúme, tristeza e ansiedade.

Pense em você!

E em se tratando de seus próprios sentimentos, não é o outro quem tem de fazer algo para que você se sinta melhor. É você mesmo! Você é, em última instância, responsável pelo que escolhe ou deixa de escolher. E se você se gosta, se você se dá conta do que quer, quando quer, como quer e, principalmente de quais são os seus limites, daí sim pode fazer escolhas com quem é e com o que acredita que merece.

Isto é, você precisa conseguir responder para si mesmo algumas perguntas básicas. Tais como:

  • Você realmente gosta desta pessoa?
  • Quer tentar, mesmo que ela ainda esteja pensando no ex?
  • Se sim, até quando?
  • O que está disposta a fazer para tentar envolver essa pessoa na relação atual?
  • Está ciente de que pode não dar certo, de que é um risco?
  • Está pronta para correr esse risco? Vale a pena?

Enfim, eu realmente não tenho resposta para essas perguntas. As suas respostas é só você quem pode ter. Por isso, dedique-se a encontrá-las dentro de si, entrando em contato com o que sente e pensa sobre o fato de estar interessada em alguém que ainda pensa no ex.

No final das contas, cuidando para não cair em clichês ou respostas-prontas, essa situação pode mesmo lhe render importantes aprendizados e percepções essenciais sobre como você se coloca nesta relação e o quanto tem coragem de abordar o assunto com seu par, lidando com os fatos como eles são e não simplesmente fugindo ou se colocando no lugar de vítima.

Sinceramente, penso que é totalmente possível perceber, com algumas semanas de relacionamento, se esse apego ao passado é apenas um resquício do término da relação e a relação de vocês tende a evoluir, ou se o melhor mesmo é “pegar o seu banquinho e sair de mansinho” pra, enfim, se autorizar a investir num encontro onde tanto você quanto o outro estão por inteiro e querem fazer valer a pena!

Rosana Braga
Psicóloga, Escritora, Jornalista e Palestrante. Pós graduada em Educação Sexual. Autora dos livros Quem Ama, Mostra, Faça o Amor Valer a Pena e O Poder da Gentileza.

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*