5 personalidades negras que fizeram história! #DiaContraDiscriminaçãoRacial

5 personalidades negras que fizeram história! #DiaContraDiscriminaçãoRacial
21.03.2019 Larissa Alves

Hoje, 21 de março, comemoramos o Dia Internacional Contra a Discriminação Racial!

Créditos: GIPHY

 

Para celebrar e reconhecer esta data importantíssima para a nossa sociedade, trouxemos 5 personalidades negras que fizeram a diferença e contribuíram para um mundo mais igualitário. Conheça agora suas histórias inspiradoras!

 

Nelson Mandela (1918 – 2013)

Créditos: Geledés

Mandela foi o mais conhecido líder rebelde contra o apartheid, o regime separava a população negra, negando a ela todos os direitos políticos, econômicos e sociais que eram garantidos à outras pessoas.

Foi preso político em 1962 por incentivar movimentos revolucionários, chegando a ser condenado à prisão perpétua pelos crimes de conspiração e ajuda para que outros países invadissem África do Sul. Permaneceu preso por 27 anos, sendo libertado apenas em 1990, depois de uma forte campanha internacional liderada pelo Congresso Nacional Africano.

Ele recebeu o Prêmio Nobel da Paz no ano de 1993. Sua história e suas ações foram tão marcantes na luta contra o apartheid que a Organização das Nações Unidas (ONU) definiu o dia 18 de julho como o Dia Internacional de Nelson Mandela.

 

 

Zumbi dos Palmares – Líder do Quilombo dos Palmares (1655 – 1695)

Créditos: Convênio Leibniz-Institut fuer Laenderkunde, Leipzig/Instituto Moreira Salles

Zumbi dos Palmares foi o símbolo da resistência e luta contra a escravidão. Além disso, lutou também pela liberdade de culto, religião e prática da cultura africana no Brasil Colonial. Embora tenha nascido livre, foi capturado quando tinha por volta de sete anos de idade.

Aos 15 anos de idade, ele retorna para viver em sua terra natal no quilombo. Aos 25 anos de idade, Zumbi torna-se líder do quilombo dos Palmares, comandando a resistência contra as topas do governo. Durante seu “governo” a comunidade cresce e se fortalece, obtendo várias vitórias contra os soldados portugueses.

Em 1694 o bandeirante Domingos Jorge Velho, organiza um grande ataque ao Quilombo dos Palmares. Após uma intensa batalha, Macaco, a sede do quilombo, é totalmente destruída. Ferido, Zumbi consegue fugir, porém é traído por um antigo companheiro e entregue as tropas do bandeirante. Aos 40 anos de idade, foi degolado em 20 de novembro de 1695.

 

 

 

Martin Luther King (1929 – 1968)

Créditos: Vox e Michael Ochs Archives/Getty Images

Ele é considerado um dos mais importantes nomes na história da luta pelos direitos civis da população negra dos Estados Unidos.

Sua história com o ativismo possui muitos momentos marcantes, como a luta pelo direito ao voto, o movimento pelo fim da segregação da população negra, além da busca por direitos civis que não eram concedidos aos negros naquela época.

Luther King era fortemente influenciado pelas ideias de Mahatma Gandhi, que pregava o combate não violento e, por isso, era adepto do ativismo pacífico. Pela sua importância na luta contra a discriminação racial recebeu o Prêmio Nobel da Paz no ano de 1964.

 

Carolina de Jesus (1914 – 1977)

Créditos: Pensamento Social Brasileiro e Adm

Ela foi uma escritora brasileira que, a partir da paixão pela escrita, encontrou forças para vencer as dificuldades da pobreza e da discriminação racial.

Moradora de uma favela de São Paulo, mãe solteira, empregada doméstica e catadora de papel, ela conseguiu ultrapassar estas dificuldades para escrever sobre o preconceito racial e desigualdade social do país na década de 40. Apesar do pouco estudo, tinha uma habilidade diferenciada para descrever as dificuldades cotidianas que enfrentava.

Lançou o livro Quarto do despejo no ano de 1960, despertando a curiosidade da sociedade da época. Entre seus livros mais importantes estão Quarto de Despejo, em que relata a cruel realidade da vida na favela e Diário de Bitita, uma autobiografia em que Carolina conta as dificuldades e os esforços para vencer o preconceito, as necessidades materiais e a discriminação racial.

 

 

Malcom X (1925 – 1965)

Créditos: Superinteressante

Malcom foi um ativista americano que dedicou sua vida a chamar a atenção do mundo para a problemática dos crimes de ódio e de racismo. Era um defensor do movimento do Nacionalismo Negro, que pregava a definição da identidade da população negra. Inicialmente defendia o uso de meios violentos como método de defesa contra o preconceito, mas posteriormente tornou-se defensor de um movimento pacífico.

Teve uma vida atribulada em razão de tragédias familiares, como o assassinato do pai e a internação da mãe por problemas psiquiátricos, tendo vivido boa parte de sua infância em orfanatos, em razão destes acontecimentos. Durante a juventude se envolveu com o crime, praticando assaltos e vendendo drogas. Foi preso aos 21 anos e durante a prisão se tornou um voraz estudante do Islamismo. Após a saída da prisão, se tornou um líder da resistência, agora pacífica, contra o racismo e pela libertação dos negros. Seu ativismo foi acolhido pelos movimentos “Panteras Negras” e “Black Power”.

Foi assassinado aos 40 anos durante um discurso no Harlem, bairro em que viveu durante a juventude.

 

E aí? Se inspirou com as histórias destas personalidades que tiveram grande importância na luta contra a discriminação racial?

Créditos: GIPHY e Salon Line

Em meio ao racismo diário, hoje é mais um dia de luta para a população negra. É necessário que a memória nacional afirme os símbolos da luta do povo negro de modo que essa seja uma data para refletir sobre nosso passado e pensar em estratégias para construir uma sociedade que garanta a sobrevivência e os direitos da população negra.

Feliz Dia Internacional Contra a Discriminação Racial!

Créditos: GIPHY

Larissa Alves
Estudante de Publicidade e Propaganda e estagiária do SAC. Apaixonada por livros, cachorros e acredita que o amor é capaz de mudar o mundo.

0 Comentários

Deixar uma resposta