Como ter sorte no amor?

Como ter sorte no amor?
19.11.2017 Bárbara Alessandra
sorte no amor

A pessoa mais indicada para uma dica dessas seria, com toda a certeza do mundo, minha avó. Ela, que de tudo um pouco sabe, sabe de umas simpatias que fazem milagres. É simpatia para trazer o boy, para emagrecer, ter cintura fina e etc. Mas se você quer saber a verdade mesmo, comigo elas nunca funcionaram. E olha que eu fazia direitinho! Uma vez minha avó me fez passar a semana toda com uma linha enrolada na cintura para afinar. Passou-se uma semana e para mim estava a mesma coisa, juro! Porém, minha avó jurava que tinha afinado. E tinha nada viu? Mas eu que não vou contrariar a velha, né? Se ela falou, tá falado!

Sorte no amor é uma questão de sorte!

sorte no amor

Créditos: Giphy e CBC.

Por mais que existam simpatias, amarrações, truques de sedução e afins, sorte no amor é uma questão de sorte, se é que me entende. Está mais relacionado a fé. Sorte é você quem faz. E se vamos falar de sorte no amor, bom… Aí o buraco é bem mais embaixo.

Amor é algo natural. Você não escolhe quem vai amar, é o destino que traz. E sorte no amor é uma questão de maturidade. Às vezes nós acreditamos que somos azarados e dedo podre, porque todas as pessoas com quem nos relacionamos sempre nos decepcionam. Mas temos de nos lembrar que a decepção é um pouco das expectativas que depositamos no outro, sendo que ele não tem obrigação de as atender. Um pouco é nossa teimosia em nos cegar diante de todos os sinais que o universo nos dá. Também tem a nossa insistência em nos relacionar sempre com pessoas iguais, mesmo que a vida nos coloque numas enrascadas para ver se aprendemos. Porém, quase nunca aprendemos.

Temos que aprender com nossos relacionamentos passados.

Por exemplo, tenho uma amiga que se relacionou por dois anos com um moço que, ao passar do tempo, foi colocando as asas de fora. Primeiro, limitou as amizades dela, depois as roupas. Logo foi se mostrando um sapo e ela havia se apaixonado pelo príncipe. Foi uma questão de tempo para que ela descobrisse que ele estava envolvido com drogas. O relacionamento foi um inferno a partir de então. Mesmo com todas as pessoas a alertando e mesmo com todos os sinais de que ele não a faria feliz, ela acreditava que tudo era apenas uma fase. E, foi se enganando até que ela acordou e percebeu que ali não havia amor – não da parte dele. Saiu de um relacionamento extremamente conturbado e, sem se dar o tempo para repensar e se encontrar, ela se envolveu com outro cara. E olha, farinha do mesmo saco. Primeiro ele começou a limitar as amizades… Mas, espera, já vimos esse filme antes, não? Que tal mudar de canal? Mas não. Ela foi novamente se submetendo. O fim já sabemos.

Eu não diria que há azar, mas sim uma cegueira. A lição é dada, aprende quem for esperto. E muitas vezes somos como essa amiga. Nos envolvemos com pessoas que não nos merecem. Pessoas que nos fazem sofrer. E mesmo diante de amigos nos alertando, mesmo diante dos sinais, preferimos acreditar naquilo que nos é conveniente. E às vezes a conveniência é o caminho para o fracasso.

O momento em que estamos solteiros é o momento ideal para o autoconhecimento.

O momento onde você se encontra e redefine toda a personalidade que vai se perdendo num relacionamento. É o momento de conhecer suas fraquezas e aprender a lidar com suas emoções. É o momento de amadurecer sentimentalmente e perceber que a felicidade está mais relacionada à sua maneira de encarar a vida do que a ter alguém do seu lado. E é, também, o momento de preparar o solo para ter sorte no amor.

A sorte no amor vem com a sua maturidade.

sorte no amor

Créditos: Giphy.

É quando você aceita o amor de alguém que reconhece suas qualidades e quer te ver bem. É quando você compreende o verdadeiro significado de reciprocidade. É quando você não aceita menos do que aquilo que você mesma pode se oferecer. É quando você se encontra e sabe que ter alguém é um cálculo de soma.

A sorte não tem um manual nem um antídoto – embora tenha algumas simpatias. Ela não vem com aquele cara super bem-sucedido e também não se esconde atrás de um buquê de rosas. A sorte parte de dentro de nós, de dentro de nossa maturidade e autoconhecimento. Para ter sorte no amor é preciso dar espaço à razão. É preciso se amar.

Não caia no mesmo erro, nem se permita sofrer. Não se abaixe para alguém que te oferece menos do que aquilo que você merece, nem alguém que dita o tamanho da sua saia. Jamais se deixe acreditar que você tem azar no amor – mas caso pense assim, custa nada ir na loteria fazer aquela fé. Saiba quem você é, se encontre. Quando a gente se ama, a gente aprende a ser mais exigente pelo nosso próprio bem. A gente aprende a enxergar tudo aquilo que esperamos que o outro enxergue.

Se ame, primeiramente. E assim, sua sorte estará lançada.

Qualquer coisa eu posso passar o contato da minha avó… Ela tem simpatia para amor próprio também e, modéstia parte, faz o melhor bolinho de chuva do país.

 

Bárbara Alessandra
Babí, 1998, capricorniana e paulista. Amante das palavras, escreve com a alma, porque capricornianos não tem coração

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*